Sobre Nós

O Boavista Futebol Clube é um clube de elevado ecletismo, sendo o Karate uma das modalidades mais antigas oferecidas pelo clube.

O Karate do Boavista FC, é do estilo Shotokan. A modalidade pratica-se há 30 anos no clube. O Karate praticado assume-se claramente como Tradicional, mas com uma formação integral dos seus praticantes, o que também comporta a passagem pelo Karate Desportivo. O clube pugna por uma forte formação dos escalões mais jovens, embora também trabalhe com os escalõesde maior idade.

A nossa equipa

  • RAÚL BIZARRO

    4º Dan - Responsável Técnico - TN2

  • JOSÉ PEDRO MACHADO

    1º Dan - Treinador - TEN1

  • GONÇALO PIMENTEL

    1º Dan - Adjunto

  • HENRIQUE CARDOSO

    1º Dan - Adjunto

  • DIOGO MACHADO

    1º Kyu - Adjunto

  • RICARDO CARVALHO

    2º Kyu - Diretor Departamento

Historial

A modalidade de Karate do Boavista FC, está a comemorar o seu 30º aniversário

Em Fevereiro de 1987, o Boavista FC adota a modalidade de Karate, na altura integrada na sua Secção de Ginástica. O estilo é o Shotokan e o clube filia-se na Associação Desportiva Centro Português de Karate. Nessa primeira época, os treinos aconteciam duas vezes na semana, com uma classe de seis alunos. Este arranque é feito com os treinadores António Raposo e Raúl Bizarro. Na época seguinte, o número de atletas dispara para mais de trinta. O clube passa a contar com duas classes e o volume da carga de treino semanal também aumenta. Na época 1988/1989, o número de atletas dobra, atingindo os 60! O clube inicia-se na competição desportiva, em vários escalões, mas com o maior enfoque nos de Iniciados e Cadetes. O atleta João Fleming obtém então um terceiro lugar no Campeonato Nacional de Cadetes em Kumite Individual (combate), tendo sido o primeiro resultado de maior destaque. O clube continua a evoluir nas épocas seguintes e em 1989/1990, Bruno Coutinho consegue o primeiro título nacional em Kata Individual, no antigo escalão de Inciados. O clube contava então com cerca de 70 praticantes. As equipas de Iniciados, Juvenis e Cadetes estavam a competir em pleno. O trabalho continua a desenvolver-se pelas épocas seguintes e, em 1991/1992, o clube atinje novo recorde em número de praticantes, 77. O clube conta então com equipas nos escalões de Iniciados, Juvenis, Cadetes e Juniores. Na época que se segue, com o processo de construção do Pavilhão Acácio Lello e respectivos ginásios, a modalidade sofre algum revés no número de atletas por menor disponibilidade de espaços de treino. Em 93/94, inicia-se a recuperação, já com os treinos a decorrerem nos novos ginásios. Paulo Melo, 2º Kyu, é então o melhor karateca do clube pelo quinto ano consecutivo. Pelas épocas seguintes continua a formação de novos praticantes e sucedem-se numerosas demonstrações, incluindo as já tradicionais e excelentes demonstrações nos saraus do Boavista. Em 1995/1996, o clube inicia uma série de fantásticos resultados desportivos. Arrecadando diversos títulos vice-nacionais e regionais, em 97/98, João Oliveira conquista o título nacional em Kumite (combate) Infantil. Em 99/00, Luís Duarte (melhor karateca do clube durante seis anos consecutivos), obtém o título nacional em Kumite Cadetes (-70Kg). este atleta atinge o cinto negro, sendo o primeiro do clube a conseguir esta graduação. João Oliveira é, nessa época, Tri-Campeão Regional e Campeão Nacional em Kumite Juvenis (-60Kg). Em 2000/2001, João Oliveira é Campeão Nacional em Fukugo Cadetes (Karate Tradicional) e o Boavista é Vice-Campeão Nacional em Kumite Equipa Júnior (Karate Tradicional). É também nesta época que o clube passa a contar com dois atletas na Selecção Nacional de Karate Tradicional, João Oliveira e Nuno Fradinho. Os dois atletas participam no Campeonato da Europa de Karate Tradicional, em Vila do Conde e João Oliveira classifica-se em 5º lugar Kumite Cadetes e 3º lugar em Fukugo Cadetes. Resultados excelentes para o karateca axadrezado. Na época 2001/2002, João Oliveira sagra-se Bi-Campeão Nacional em Karate Tradicional, obtendo mesmo dois títulos nacionais neste ano. Na época seguinte o Boavista obtém o título de Vice-Campeão Nacional em Kumite Equipa Júnior, no campeonato de Shotokan. João Oliveira arranca o título nacional em Kumite Cadete (+75 Kg) na FNK-P. O mesmo atleta é, nesta época, chamado a integrar a Selecção Nacional de Karate Shotokan nos escalões Júnior e Sénior, participando no Campeonato Europeu no Chipre. O clube conclui a formação de 1º Dan (cinto negro) de mais dois dos seus atletas, João Oliveira e Romeu Mesquita. Nesta época inicia-se a demolição do Pavilhão Acácio Lello como parte integrante da construção do Estádio do Bessa Séc. XXI. Como consequência, as modalidades passaram a utilizar instalações provisórias, menos visíveis, o que contribuiu decisivamente para o menor número de praticantes, que a partir desta data passamos a ter. Na época de 2003/2004, João Oliveira obtém mais um título nacional em Kata Individual, na Liga Portuguesa de Karate Shotolan e volta a ser chamado à Selecção Nacional para disputar o Campeonato da Europa (júnior e sénior) em Sunderland, Inglaterra. Aqui, obtém um fantástico 3º lugar em Kumite Equipa Júnior. Na época 2004/2005, João Oliveira passa a integrar a Selecção Nacional da Federação Nacional de Karate - Portugal, competindo no Campeonato Iberoamericano, em Tenerife, Espanha. Nesta época, compete também no Campeonato do Mundo de Karate Tradicional (ITKF), em Davos, Suíça, onde consegue um fabuloso 3º lugar em Kumite Equipa Sénior. Nos Nacionais de Karate Shotokan, sagra-se Bi-Campeão Nacional em Kata e Campeão Nacional em Kumite, ambos em juniores. Participa então no Campeonato da Europa em Cadiz, Espanha, nos escalões Júnior e Sénior. Em 2006/2007, o Karate do Boavista comemora o seu vigésimo aniversário. Em 2007/2008, estreiam-se os novos ginásios no Estádio do Bessa Séc. XXI. Estes espaços, muito mais amplos e equipados, vêm permitir a continuidade do trabalho com maiores condições de conforto. Desde aqui, e já após o abandono dos atletas de competição das últimas épocas, o clube tem-se empenhado na recuperação de um maior número de atletas. Nos últimos anos, á preocupação de aumentar o número de praticantes e dar continuidade aos processos de formação, acresce-se a construção de novas equipas de competição nos escalões mais jovens. Em 2011/2012, o Karate do Boavista comemora os seus 25 anos de existência. Nesta época, Henrique Cardoso, um atleta da nova geração, consegue o título de vice-campeão nacional em kumite (-52Kg), escalão de cadetes. A época 2012/2013, marca um ponto de viragem para a modalidade. A mesma passa a secção autónoma do clube e inicia-se um verdadeiro processo de restauro da modalidade. Logo na estreia, a Secção atinge as quatro dezenas de praticantes, mais do que o dobro das épocas anteriores. A aposta competitiva é nos escalões mais velhos, Cadetes, Juniores e Seniores. Henrique Cardoso renova o seu título de vice-campeão nacional cadete, desta vez na categoria de -57Kg. José Pedro Machado é 3º nos Universitários de Karate, em Kumite (-60Kg). Nas duas épocas seguintes, o clube atinge os cerca de 70 praticantes nas suas fileiras. o trabalho de crescimento continua. O clube consegue o título de campeão nacional por equipa de kata júnior, em Karate Shotokan. Henrique Cardoso participa no Campeonato Europeu de Shotokan, escalão de Cadetes, na Suiça. Nos campeonatos universitários, os atletas axadrezados José Pedro Machado e Raquel Barros sobem ao pódio em representação das suas faculdades.